sábado, 12 de junho de 2010

Lúgubre Dicotomia

Quão verdes eram as folhas
Mas tornaram-se marrons com o passar do tempo
Quão belo era o passado
Que se tornou onírico com o a passar do tempo
O tempo passa e tudo fica claro
Percebo então algo interessante
A medida da força é Newton
E a medida da dor é Deus — auspiciosa ingenuidade
Que faço eu com o tempo?
Espero ele passar?
Ou acabo com ele de uma vez por todas?
Vivo por viver e isso já é bem sabido
Eflúvios pensamentos de não-vida
Percebo que viver ou não
É uma mera questão vetorial

Um comentário:

  1. otimo, adorei. Desculpe a intromissão mas copiei essa postagem, não sei se violo ou não. Mas nada impediu. Citei que o texto era seu. Belo texto.

    ResponderExcluir